Boletim do Câncer

Boletim do Câncer
home · Notícias Sobre o Câncer · Câncer de tireoide é prevalente nos homens, já em mulheres os nódulos prevalecem

Câncer de tireoide é prevalente nos homens, já em mulheres os nódulos prevalecem

Câncer de tireoide é prevalente nos homens, já em mulheres os nódulos prevalecem.

Considerado um tumor de baixa incidência – um caso a cada 100 mil homens e oito casos a cada 100 mil mulheres -, o câncer de tireoide é o mais comum da região de cabeça e pescoço e deve se tornar o terceiro câncer mais incidente nas mulheres até 2030, atrás apenas de tumores de mamas e de ovários. Porém, quando um homem tem nódulo de tireoide, as chances deste nódulo ser maligno são maiores.

Os tipos mais comuns dos cânceres de tireoide são o carcinoma papilífero, responsável por mais de 80% dos casos e que tem evolução lenta e costuma responder bem ao tratamento, e o carcinoma folicular, que apresenta maior risco de metástases à distância e reincidência. “Cerca de 10% dos nódulos de tireoide são malignos e quando diagnosticados precocemente, as chances de cura são de cerca de 95%”, conta o Dr. Erivelto Volpi, cirurgião de cabeça e pescoço do Centro Especializado em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

O diagnóstico é feito por meio da ultrassonografia e, quando necessário, da punção aspirativa da tireoide, exames que, além de confirmar a suspeita de nódulos, auxiliam o médico na decisão da melhor conduta a ser adotada para o tratamento, que varia desde a simples observação do nódulo, medicamentos, tratamentos minimamente invasivos ou até mesmo a cirurgia.

A Ablação por Radiofrequência é a novidade no tratamento de nódulos benignos. “A técnica consiste na introdução de uma fina agulha no nódulo, guiada por ultrassonografia, que destrói os nódulos por meio das ondas de calor”. A técnica foi desenvolvida na Coreia do Sul e deve ser utilizada somente em nódulos comprovadamente benignos e maiores do que 2 centímetros. “O procedimento é minimamente invasivo e ambulatorial, tem duração aproximada de 20 minutos e apresenta menor risco de complicações, preservando a função da glândula”, explica o especialista.

Disfunções da tireoide

Além dos nódulos, problemas na função da tireoide podem fazer com que a glândula produza os hormônios T3 e T4 em excesso ou em quantidade insuficiente para o bom funcionamento do organismo, provocando, respectivamente, hipertireoidismo ou hipotireoidismo. Essas são as duas doenças mais comuns da glândula.

Prevalente em mulheres, o hipotireoidismo ocorre quando a glândula funciona menos do que deveria, provocando depressão, pele seca, intestino preso, sonolência excessiva, ganho de peso, perda da força muscular, fadiga, sensação de frio constante e alterações no ciclo menstrual. Já o hipertireoidismo é caracterizado pela produção excessiva dos hormônios tireoidianos que geralmente provoca emagrecimento, queda de cabelo, aceleração dos batimentos cardíacos, agitação, insônia, além de calor e sudorese em excesso.

Como fazer o autoexame da tireoide

  • Segure um espelho e procure no pescoço o pomo de Adão (gogó). É nesta região que está localizada a tireoide;
  • Com a cabeça para trás focalize a área do pomo de Adão com o espelho;
  • Com a cabeça estendida para trás beba um gole de água. Ao engolir é importante observar se há elevação ou saliência na região. Caso seja necessário, realize o teste mais de uma vez.

Mitos e Verdades

  • Alterações no peso – Verdade
  • Apesar de não se aplicar a todos os pacientes com disfunções da tireoide, a alteração de peso pode acontecer por conta desta condição, já que uma das funções da glândula é controlar a maneira como o nosso corpo usa e armazena energia.
  • Hereditariedade é um fator de risco para o câncer de tireoide – Verdade
  • Aproximadamente 10% dos casos estão relacionados à herança genética. Apesar de não ser um número alto, é preciso ter atenção.
  • Raio-X e mamografia podem causar câncer de tireoide – Mito
  • Não existe comprovação de que esse tipo de radiação ofereça risco para o desenvolvimento do tumor.
  • Selênio auxilia no funcionamento da tireoide – Verdade
  • Encontrado, principalmente, na castanha-do-Pará, o selênio atua na conversão do hormônio T4 em T3, evitando o hipotireoidismo. Além disso, o mineral ajuda o organismo a se livrar de substâncias tóxicas. Uma castanha por dia é o necessário para garantir bons níveis de selênio no corpo humano.

Sobre o Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Fundado por um grupo de imigrantes de língua alemã, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz é um dos maiores centros hospitalares da América Latina. Com atuação de referência em serviços de alta complexidade e ênfase nas especialidades de oncologia e doenças digestivas, a Instituição completou 120 anos em 2017. Para que os pacientes tenham acesso aos mais altos padrões de qualidade e de segurança no atendimento, atestados pela certificação da Joint Commission International (JCI) – principal agência mundial de acreditação em saúde –, o Hospital conta com um corpo clínico renomado, formado por mais de 3.900 cadastrados ativos, e uma das mais qualificadas assistências do país. Sua capacidade total instalada é de 805 leitos, sendo 582 deles na saúde privada e 223 no âmbito público.

Hospital Alemão Oswaldo Cruzwww.hospitalalemao.org.br

Informações para a imprensa
Conteúdo Comunicação

Maria Teresa Moraes (mariateresa.moraes@conteudonet.com)
Alessandra Miranda (alessandra.miranda@conteudonet.com)
Mayara Toni (mayara.toni@conteudonet.com)
Thaynara Dalcin (thaynara.dalcin@conteudonet.com)
Roberta Montanari (robertamontanari@conteudonet.com)
Claudio Sá (claudio.sa@conteudonet.com)
Gerência de Marketing e Comunicação Institucional
Melina Beatriz Gubser – mgubser@haoc.com.br
Michelle Barreto – msbarreto@haoc.com.br
Rafael Peciauskas – rpeciauskas@haoc.com.br

Agende uma consulta

Agende a sua consulta ou exame com nossos times multidisciplinares integrados pelos telefones (11) 3549-0665

AGENDE SUA CONSULTA