Câncer de Tireoide

Câncer de Tireoide
Home · Tudo Sobre Câncer · Câncer de Tireoide

Cuide do equilíbrio do seu corpo

Prevenção do Câncer de Tireoide

A tireoide é responsável por produzir os hormônios que equilibram o ritmo do nosso organismo. Nódulos na glândula são comuns, mas menos de 10% são malignos e, quando descobertos precocemente, o índice de cura do câncer de tireoide supera os 95%. Para se proteger, mantenha hábitos saudáveis, consulte seu médico e faça exames regularmente.
 
Para agendar suas consultas e/ou exames, clique aqui

Autoexame


Você sabia que o nódulo de tireoide pode ser facilmente identificado com um autoexame? Basta que você na frente do espelho e tome um gole d’água. Preste atenção na tireoide que fica localizada logo abaixo do Pomo de Adão (gogó). Se você notar um nódulo se movimentando para cima e para baixo, durante esse gole de água, é porque provavelmente existem nódulos. Nesse caso, procure o médico para realizar os devidos exames e detectar precocemente um nódulo de tireoide.

Risco Pequeno


Você sabia que apenas 10% dos nódulos de tireoide são tumores malignos? Portanto, caso você encontre um nódulo na sua tireoide, não se preocupe. A chance de ser um tumor maligno é muito pequena.


Fácil Diagnóstico e Fácil Tratamento


A disfunção da tireoide é de fácil diagnóstico, e o tratamento ainda conta com remédios bem acessíveis. Os medicamentos para o tratamento são muito baratos e quase não têm nenhum tipo de contra-indicação.


Teste do Pézinho


Uma das funções do teste do pezinho em recém-nascidos é detectar a disfunção da tireoide. Ou seja, é possível tratar a criança desde cedo, evitando maiores problemas causados pela disfunção dessa glândula.


Nova Droga para os Casos Metastáticos de Tireoide


Aprovado pela Anvisa recentemente, um medicamento à base de mesilato de lenvatinib, vem impedindo o avanço dos tipos raros de câncer que representam cerca de 1% a 2% dos tumores malignos. A poderosa droga diminui em até 80% a progressão da doença, podendo, inclusive, fazê-la desaparecer em alguns casos.


Dúvidas Frequentes

​Estima-se que 60% da população brasileira tenha nódulos na tireoide em algum momento da vida. Uma vez identificado o nódulo, o médico solicitará uma série de exames complementares para avaliar qual a eventual necessidade de algum tratamento específico para este nódulo.
Apenas uma parte muito pequena dos pacientes com aumento de peso tem a disfunção da tireoide como causa principal, quando este aumento de peso ocorre por causa da tireoide seu diagnóstico é muito simples (exame de sangue) e seu tratamento é muito eficaz (uso de hormônio tireoidiano).
Não, menos de 10% dos nódulos são malignos. E quando descobertos precocemente, o índice de cura supera os 95%.
A glândula da tireoide é responsável pela produção de hormônios que agem no controle do gasto de energia do nosso corpo (esses hormônios controlam a entrada de energia nas células). Dessa maneira, quando há uma diminuição destes hormônios (T3 e T4), nosso metabolismo fica mais “lento” e há uma tendência à perda de força muscular, sonolência, frio, raciocínio mais lento, entre vários outros sintomas. Quando há um aumento na produção de hormônios, o que é bem menos frequente, existe um aumento dos batimentos cardíacos, aumento da temperatura corporal, agitação, insônia, tremor nas mãos e outras queixas.
O tratamento do câncer da tireoide é sempre cirúrgico. A tireoidectomia total ou parcial (em casos indicados) é o tratamento de escolha e quando necessário a iodoterapia (ingestão de iodo radioativo) é indicada. Radioterapia e quimioterapia são indicações de exceção e quase nunca são usadas.
Hábitos de vida saudáveis são sempre recomendados, a ingestão de sal em quantidades normais deve ser feita, pois o sal brasileiro contém iodo, que é a matéria prima que a tireoide usa para produzir os hormônios. Recomenda-se também a ingestão de selênio que também protege a tireoide (a quantidade diária necessária de selênio está presente em uma castanha-do-pará).



Câncer de Tireoide - Dia Internacional da Tireoide - 25/05 - Os tipos mais frequentes dentre os tumores de esôfago são o carcinoma epidermoide escamoso e o adenocarcinoma, responsáveis por mais de 96% dos casos. O câncer de tireoide é o 5º tumor maligno mais frequente entre o sexo feminino, embora as suas chances de cura sejam de 95% quando detectado precocemente. Considerado o mais comum da região da cabeça e pescoço, mas a sua incidência é baixa: 1 caso a cada 100 mil homens e 8 casos a cada 100 mil mulheres, em média, segundo estimativas do INCA. São divididos em: diferenciados (mais frequentes) – carcinoma  papilífero, carcinoma folicular, carcinoma  de células de Hürthle e outros tipos – medulares, carcinomas indiferenciados. O QUE É TIREOIDE? É uma glândula do sistema endócrino responsável pela produção de hormônios que agem no controle de diversos órgãos do corpo humano. NÓDULOS  BENIGNOS OU BÓCIOS: Bócio é o nome que se dá para uma glândula tireoide com tamanho anormal, já que existem outros motivos para isso como o desequilíbrio de hormônios. Às vezes esses nódulos produzem excesso de hormônio tireoidiano e causam hipertireoidismo ou têm ausência de hormônios, hipotireoidismo. A maioria dos nódulos da tireoide é benigna, mas cerca de 5% são malignos. O Hospital Alemão Oswaldo Cruz participou de uma pesquisa envolvendo sete países que reclassificaram  como neoplasia de prognóstico mais favorável, o carcinoma papilífero folicular encapsulado não invasivo. O estudo baseou-se numa análise retrospectiva de 210 pacientes com nódulos tireoidianos, através do escaneamento digital das lâminas, permitindo que 24 patologistas experientes em doenças da tireoide de 13 centros internacionais em 7 países, estudassem individualmente este material. A nova abordagem ainda deve ser validada pela Organização Mundial de Saúde. Fatores de Risco: Irradiação no pescoço, mesmo em baixas doses, assim como a ocorrência de câncer da tireoide na família, podem ser considerados fatores de risco para o câncer da tireoide. Sintomas: Assintomático, o câncer de tireoide deve ser investigado a partir da presença de um nódulo, a começar pelo autoexame. Quando associado à presença de linfonodomegalia cervical (gânglios linfáticos aumentados
no pescoço) e/ou ao sintoma de rouquidão, pode ser indicação de um tumor maligno na tireoide. Diagnóstico: O diagnóstico é feito por meio de ultrassonografia da tireoide e punção aspirativa da tireoide com agulha fina dirigida por ultrassonografia, para a extração de células do nódulo e a certificação da existência de tumores malignos por meio de biópsia. Prevenção: Não há evidências estabelecidas sobre prevenção do tumor de tireoide, especialmente porque o câncer de tireoide tem causas desconhecidas. Tratamento: O tratamento do câncer da tireoide é cirúrgico e, em alguns casos pode ser complementado com a iodoterapia radioativa. Hoje as cirurgias são mais eficientes e menos invasivas com isso o paciente consegue retomar suas atividades o mais breve possível. Fonte: Fundação do Câncer, Minha Vida, INCA, Oncoguia, Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Conheça nosso Time multidisciplinar de Tumores de Cabeça e Pescoço.

Agende uma consulta

Agende a sua consulta ou exame com nossos times multidisciplinares integrados pelos telefones (11) 3549-0665

AGENDE SUA CONSULTA